Estilo Azul>

Artistas & Repertório

Imaginary Brazil
OUÇA:

Imaginary Brazil
Corciolli

Inspirado em lendas, personagens, lugares e acontecimentos de um Brasil imaginário.
  • Album
    1 Tears of the Rainforest 4:45
    2 Vila Rica 4:23
    3 Eyes of the Jaguar 4:31
    4 Arandu Ara 4:27
    5 Quilombo 5:24
    6 Requiem 4:50
    7 Prelúdio Silencioso Nº 1 4:59
    8 Into the Backlands 4:31
    9 Sonata Cabocla 5:46
    10 Relicarium 3:44

Sobre o produto:

IMAGINARY BRAZIL traz 10 composições autorais inéditas, escritas para piano, violino e cello, complementadas por arranjos orquestrais, percussões e sintetizadores eletrônicos. Inspirado pelo imaginário brasileiro, Corciolli dialoga em um espaço criativo onde comungam influências da escola clássica europeia, os ritmos africanos e as sonoridades indígenas, buscando um “crossover” que, em sua essência, retrata a própria miscigenação tão presente na cultura brasileira.

 

Com as participações especiais de Pablo de León no violino e Raïff Dantas Barreto no cello (respectivamente spalla e 1º cello da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo) como solistas convidados, o álbum traz também contribuições da soprano Rose de Souza, do percussionista Kabé Pinheiro e do violonista Camilo Carrara, entre outros.

 

IMAGINARY BRAZIL traz temas como "Vila Rica", inspirada na vida e obra de Aleijadinho, gênio do barroco mineiro; "Sonata Cabocla", que descreve um dia na vida simples de um caboclo “trabalhador de bem” no interior profundo desse país; "Eyes of the Jaguar", inspirado pelo segredo do fogo, segundo uma antiga lenda do povo Suruí, de Rondônia, que habitava nos olhos das onças, até ser roubado pelo pássaro Orobab.

 

Nesse mundo imaginário, o artista também flerta com o universo metafísico, ora visitando o silêncio ao encarar e transcender a solidão do ser humano em "Prelúdio Silencioso No. 1", ora exaltando a saga do povo nordestino, que mesmo castigado no sertão, vive na esperança e na fé ("Into the Backlands"); Em "Relicarium", se inspira na habilidade que temos para criar "pequenos santuários” dentro de nós, onde guardamos relíquias de lembranças, segredos e os sonhos não vividos...

 

O compositor também propõe reflexões que alertam ao desmatamento e a devastação das florestas, agravadas pelo descaso histórico das autoridades ("Tears of the Rainforest"); Recorda os horrores da escravidão, do além-mar em navios negreiros ao trabalho forçado nas fazendas dos ricos senhores brancos ("Quilombo"); Retrata a chegada dos navegantes no novo mundo, tomando terras que não lhes pertencem, dizimando civilizações e a natureza em um rastro de violência e destruição ("Requiem"). Com letra em latim, extraída da liturgia cristã, a música exalta o funeral de todo aquele mundo que vivia em tempos esquecidos: “Requiem aeternam dona eis, Domine, et lux perpetua luceat eis” Repouso eterno concede-lhes, Senhor, e que a luz perpétua os ilumine.

 

 

Embora o ser humano seja responsável por atos sombrios, ele também pode ser sublime... A mensagem mais importante de IMAGINARY BRAZIL vem da singela letra em tupi-guarani de "Arandu Ara" - poema do educador e escritor Kaká Werá Jecupé e interpretada pela extraordinária cantora do Amapá, Patricia Bastos.