Silent Worlds

Em uma abordagem minimalista e despojada, SILENT WORLDS se destaca pela singeleza e espontaneidade. Trazendo à luz nove composições inéditas, interpretadas no piano e alguns sintetizadores, durante uma semana no mês de março de 2021, Corciolli compara o álbum a uma “fotografia sem filtros”, cujos temas, nascidos de improvisos, foram gravados no momento instantâneo da criação.

“Todas as vezes que estou no estúdio trabalhando ou estudando, dedilho pequenos improvisos no piano, algo que se tornou um hábito, quase um ritual de conexão com a música… Resolvi registrar alguns desses ‘lampejos’, de forma totalmente espontânea, deixando fluir as interpretações. Por não terem sido previamente planejados, os temas trazem ‘imperfeições’, que, se por um lado, poderiam ser trabalhadas posteriormente, por outro, emanam autenticidade.” – Corciolli

Introspectivas, nostálgicas e delicadas, as melodias refletem uma necessária interiorização de processos relacionados a perda, melancolia e longos períodos de isolamento social, que afetaram a todos durante a pandemia, mas que, para o autor e sua música, encontram caminho na aceitação e principalmente na transmutação: A esperança predomina e sagra-se vitoriosa… Nas palavras do artista: “A junção única de fatores e acontecimentos, acabou por me apontar certos caminhos, onde pude encontrar (ou reencontrar) músicas que talvez sempre estiveram em mim. Meu coração sempre vai transbordar esperança”.

Sugestões

No Time But Eternity

Em arranjos para piano, sintetizadores e quarteto de cordas, somados à elementos étnicos, o compositor explora a junção de sonoridades orquestrais e eletrônicas.

Futura

,
Encontro dos músicos em interpretações que unem os universos da música clássica e eletrônica.

Imaginary Brazil

Obras para piano, violino, cello e sintetizadores, em arranjos orquestrais, inspiradas no imaginário brasileiro.

Ilusia

Rock progressivo instrumental, com samplers de guitarra, baixo, bateria e sintetizadores.