Beethoven: Piano Sonatas No. 3 in C Major, Op. 2 & No. 16 in G Major, Op. 31

Dentre as três sonatas Op. 2 dedicadas ao compositor Joseph Haydn, a de No. 3 é considerada como a primeira sonata virtuosística de Beethoven. Apresentando desafios de imensa dificuldade, a obra requer do intérprete um domínio técnico e também resistência física. Composta em 1795, é possível perceber que o compositor alemão estava em busca de novos caminhos, inovando em termos de harmonias, articulações e dinâmicas, além de explorar novas possibilidades para o piano, que, naquela época passava por rápidas e intensas transformações.

Já a Sonata No. 16, Op. 31 sinaliza uma abordagem irônica que remete ao teatro italiano: humor, brincadeiras, diálogos rápidos e algumas explosões tempestivas de fúria, que lembram cenas de comédias musicais. Os “italianismos” utilizados na linguagem da sonata são incontestáveis, mas é evidente que Beethoven propositadamente brincava com esta referência, sem deixar seu estilo ser influenciado por ela.

Nesse álbum, as interpretações da pianista Olga Kopylova fazem jus ao caráter inovador e disruptivo das sonatas compostas pelo gênio de Bonn, cuja obra perdurará pela eternidade, como uma das mais prodigiosas criações artísticas da humanidade.

Sugestões

Mozart: Sonatas for Piano and Violin, Vol. 1

,
Sonatas para piano e violino K 301, K 302, K 303, K 304, K 305 e K 306 em interpretações magistrais do violinista Claudio Cruz e da pianista Olga Kopylova.

Morning Star

Antologia de obras para piano de compositores russos, em interpretações magistrais.

Miniatures: The Music of Cécile Chaminade

Antologia de obras da compositora francesa Cécile Chaminade, interpretadas pela pianista da Osesp.